Se você trabalha no mercado gastronômico, é uma pessoa que ama cozinhar e descobrir novos ingredientes ou simplesmente adora comer, o Marché de Rungis pode ser um passeio que vai mudar a sua vida. 

Mais conhecido como o local que distribui alimentos no atacado para o mercado gastronômico de toda a cidade de Paris e sua região metropolitana, o Marché de Rungis reúne produtos agrícolas e alimentícios de origem francesa e europeia. Criado em 1969 com o objetivo de revitalizar o centro de Les Halles (e remover o antigo mercado de lá), ele é o maior mercado de produtos frescos do mundo. Se trata de um ativo essencial para o mercado da região, com compradores exigentes, chefs com cadeias de distribuição internacionais e, desde 2010, Patrimônio Mundial da Gastronomia pela UNESCO.

Foto: Divulgação

Diferente de alguns mercados em Paris, em Rungis é permitido–e até encorajado–tocar em produtos se ter uma ideia da maturação de um queijo ou do peso de um peixe, por exemplo. As fotos também são permitidas, comprar que é um problema. Como se trata de um mercado atacadista, é necessário ter um cartão de comprador.

Como visitar o Marché de Rungis

https://www.flickr.com/photos/rungisinternational/34141380825/in/album-72157679605762603/

Foto: Divulgação

Rungis fica fora do perímetro de Paris, e oferece visitas guiadas para indivíduos e grupos. Elas começam às 4:30 da manhã, então se prepare para sair da cama bem cedo!

O mercado abre às 2h da manhã, e os produtos se vão rápido. O mercado de peixes e frutos do mar é o primeiro a ser esvaziado, já que os profissionais querem sair de lá com as pescas du jour. Por isso, essa seção normalmente é a primeira a ser visitada. 

Não é também para os fracos de estômago, primeiro porque os visitantes estarão lidando com carnes cruas antes do café da manhã, segundo porque durante a estação de caça, muitos animais recém abatidos estarão à venda no local. Mas os animais cuja caça é permitida são aqueles em que há um superpopulação que impactam o meio ambiente–e cujas carnes são altamente apreciadas na França. 

Foto: Divulgação

O roteiro termina com uma visita ao setor dos laticínios, vegetais, grãos e flores – Rungis tem de tudo! Floristas, centros de jardinagem, paisagistas e decoradores são alguns dos profissionais não relacionados ao mercado gastronômico que se beneficiam da oferta abundante e exclusiva do Marché de Rungis.

Ao final, um café da manhã é fornecido para os visitantes famintos e privados de cafeína. Um jeito agradável de recomeçar o dia.

Curiosidades

  • 730.000 toneladas de alimentos origem francesa foram vendidos no mercado Rungis em 2016
  • 62% das frutas e legumes, 86% dos produtos lácteos e 52% dos produtos de carne comercializados em Rungis são franceses
  • 24% das ameixas e 28% das endívias produzidas em Ile-de-France são vendidas no chão dos produtores
  • 500.000 fazendas sustentam quase um milhão de pessoas na França
  • O agronegócio francês tem 10 mil empresas que fornecem 475 mil empregos na região

Fonte: https://www.rungisinternational.com

Você está pronto para essa experiência única?

Share: